quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Massas de Ar no Brasil



Embora seja um país predominantemente quente e úmido, o Brasil não se apresenta como um todo homogêneo. Áreas mais quentes, mais úmidas, menos quentes, semiúmidas e até quentes e secas (semiáridas) constituem diferentes domínios climáticos.
Dentre os principais fatores que explicam o clima brasileiro, pode-se destacar:
a) Predomínio das terras brasileiras em baixas latitudes.b) Situação do relevo, com predomínio de depressões e planaltos, sem grandes altitudes.c) A atuação predominante do sistema de ar quente intertropical - massas de ar tropicais e equatoriais - na maior parte do Brasil durante o ano. Esse fator, correlacionado com a latitude e a altitude, explica a razão de a maior parte dos domínios serem principalmente quentes, com exceção do domínio subtropical. Compare os dois mapas das massas de ar. Observe que a mEc, a mEa e a mTc atuam mais no verão, pois têm sua ação atenuada no inverno pela expansão da mTa e da mPa.O comportamento médio da atmosfera brasileira é consequência dos avanços e recuos dessas 5 massas de ar: 2 equatoriais, 2 tropicais e 1 polar.Massas de ar no BrasilA mEc - Equatorial Continental - é a massa de ar quente e úmido que domina a Região Norte, boa parte do Centro-Oeste e parte do Nordeste. Sua área de origem é a Amazônia, daí sua importância no transporte da umidade produzida pela evapotranspiração local. Esse domínio se dá na maior parte do ano e é menos acentuado durante o inverno austral.
A mEa - Equatorial Atlântica - tem sua origem no Atlântico Norte e possui características quentes e úmidas. Atua na parte setentrional do Brasil, com grande influência no regime de chuvas da região Nordeste.
A mTc - Tropical Continental - é uma massa quente e seca, com origem na Depressão do Chaco, região paraguaia próxima ao Pantanal. Tem bastante influência no Brasil Central e parte do Sudeste, especialmente no inverno.
A mTa - Tropical Atlântica - é outra massa de ar quente e úmido que avança pelo território brasileiro. Ela influencia, de maneira dominante, o comportamento atmosférico da Região Sudeste e da Região Sul. O grande domínio da Tropical Atlântica estende-se de outubro a maio, principalmente nos meses de verão. Mas durante o inverno essa massa é deslocada pelos ventos alísios, atingindo também o Nordeste.
A mPa - Polar Atlântica - chamada também de Polar Antártica, é a massa de ar frio que determina, durante c inverno, o estado de tempo ou comportamento atmosférico na Região Sul. Os avanços da Polar Atlântica provocam ondas de frio na Região Sul, na Região Sudeste e no Centro-Oeste. Essas ondas de frio são acompanhadas, muitas vezes, por chuvas prolongadas ou garoas, geadas e até por quedas de neve. Até mesmo a Amazônia é atingida por esses avanços da Polar Atlântica durante o inverno austral. É o fenômeno da "friagem", que ocorre no sul de Amazonas e no norte do Mato Grosso.
Os ventos alísios - que deslocam as massas de ar Equatorial e Tropical atlânticas - são chamados constantes.
O vento alísio é o movimento constante ou regular de ar úmido dos trópicos para o Equador, em baixas altitudes, provocando chuvas e calmarias ao longo da zona equatorial.
Ao se aproximar do Equador, o ar se aquece, provoca chuvas e perde umidade, eleva-se e retorna seco para os trópicos. E o ventocontra-alísio, responsável pela formação de alguns desertos tropicais, como o Saara e o Calaári, ambos na África.
Observe esse sistema na figura, ocasionado pelas znas de alta pressão (AP) - anticiclonal - e baixa pressão (bp) - ciclonal.
Além dos ventos constantes, o litoral brasileiro também se beneficia de ventos periódicos como a brisa.
O vento do tipo brisa é o ar que se movimenta nos litorais, em certas horas, entre o continente e o mar. A direção da brisa é, ao anoitecer, da terra para o mar e, ao amanhecer, do mar para a terra. Devido a essa virada na direção do vento, a brisa é também chamada de viração. Esse vento é responsável pelas condições de maritimidade e continentalidade que influenciam os outros elementos do clima: temperatura, pressão, umida­de e chuvas. 
Direção da brise de dia e a noite no Brasil

Ventos alísios

Nenhum comentário:

Postar um comentário