terça-feira, 14 de outubro de 2014

A Água e os assentamentos humanos


A água e os assentamentos humanos

            Graças a sua enorme importância na manutenção dos ciclos naturais e na manutenção da vida na Terra, vamos dar uma atenção especial à água. Afinal, a Terra é vista do espaço como um planeta azul por ser praticamente 70% coberta por superfícies aquosas. Além disso, veremos como as formas de uso dos recursos hidrícos se transformam ao longo da história humana.


            Apesar da abundância dos recursos hí­dricos na Terra, sua distribuição é bastante desigual pelos continentes. O problema do acesso à água potável acontece, especialmente, nos países mais pobres. Por causa da poluição e da super exploração, a água po­tável é atualmente considerada um recurso natural finito. É necessário uma atitude responsável no que se refere à preservação da água.


Veja alguns dados aproxima­dos a respeito do consumo residencial de água: cinco minutos com a torneira do banheiro meio aberta - 80 litros; 15 minutos de banho de chu­veiro - 144 litros; seis segundos de válvula da descarga - 30 litros; 15 minutos com a torneira da cozinha aberta - 243 litros; lavadora de rou­pas de cinco quilos - 135 litros; 15 minutos com a torneira do tanque aberta - 279 litros; 30 minutos com a mangueira aberta para lavar o carro - 216 litros; 15 minutos com o esguicho aberto para lavar a calçada - 243 litros (fonte: Asso­ciação de Defesa e Orientação do Cidadão). Pense na rotina de sua casa, consi­derando os hábitos de todas as pessoas que lá residem e analise a situação doméstica. 


Quais medidas para um consumo mais responsável e economizar o volume de água no seu dia a dia?


 Algumas formas de evitar o des­perdício do uso da água no banho, na cozinha, no quintal e em outras dependências da casa são:


1-  na hora do banho, em vez de manter o chuveiro ligado o tempo todo, pode-se molhar o corpo, desligar a água enquanto usa o sabonete e, somente depois, abri-lo para se enxaguar;


2 - não escovar os dentes com a torneira aberta;


3-  para evitar o uso prolongado da descarga, não jogar objetos e papel no vaso sanitário;


4 - na cozinha, molhar a louça de uma só vez e, depois, abrir a torneira quando tudo já estiver ensaboado;


5 - lavar o carro, o quintal e a calçada com balde, evitando o uso da mangueira.


            O desenvolvimento de uma campanha de consumo responsável da água ajudaria: você pode distribuir cartazes em sua própria casa e assim, divulga propostas de mudança de conduta. Depois de um mês, vemos a diferença na conta de água. No início vamos encontrar algumas dificul­dades, mas os resultados obtidos em termos de consumo de água serão gratificantes.


   A presença da água nos ciclos da natureza


A água está presente em toda parte, não apenas nos reservatórios que compõem a hi­drosfera. Para buscar essa evidência, realize dois experimentos em casa: no primeiro deles, com a ajuda dos pais ou responsável, escolha um galho de árvore no quintal, no jardim ou na rua. Para quem mora em apartamento, pode escolher alguma planta ornamental que esteja em um vaso. Com cuidado, para não quebrar o ga­lho, coloque um saco plástico na extremidade da planta, amarrando a ponta com o barbante. No segundo experimento, reserve no congelador um copo de vidro vazio. Após 24 horas, enquanto retira o saco plástico do galho, deixe na pia da cozinha o copo de vidro que estava no congela­dor. No primeiro caso, houve o acúmulo de água no saco plástico, originado da transpiração da planta. Imaginem a quantidade de água que as plantas de uma floresta tropical transferem para a atmosfera! No segundo caso, como a superfí­cie do copo de vidro estava mais fria que o ar ao seu redor, ocorreu o processo de condensa­ção do vapor de água existente no ambiente. Por isso que, com a chegada de uma frente fria, há uma queda brusca de temperatura e normalmente provoca chuvas.


A importância histórica da água


Uma vez analisado o papel da água nos processos naturais, vamos realçar ainda mais a sua im­portância, discutindo o uso dos recursos hídricos no desenvolvimento hu­mano. Vamos identificar a estreita relação entre a localização dos assentamentos humanos e a disponibilidade dos recursos hídricos, seja para o abastecimento da população e para o transporte, seja, principalmente, para a irrigação, que permite expandir as áreas de cultivo e aumentar a produção agrícola.


Muitas cidades na Antiguidade surgiram ao redor de rios localizados no norte da África e na Ásia: núcleos urbanos que surgiram às margens do Rio Nilo, como Tebas, Luxor, Mênfis e Assua; outro exemplo são os rios Tigre e Eufrates, em cujas margens surgiram as ci­dades de Ur, Lagash, Nínive, Mari e Kish; na Índia, os núcleos urbanos às margens do Rio Indo e, na China, ao redor dos rios Huang-ho e Yang tsé-kiang. O rio Nilo foi muito importante para a civilização que se desenvolveu no Egito antigo e ainda tem grande importância ecológica e econômica. Até atingir sua foz, no Mar Mediterrâneo, o Nilo percorre uma região desértica. Do ponto de vista ecológico, são suas águas que mantêm a vida naquela região. Sem ele não teria havido condições para o desenvolvimento da agricul­tura. O Nilo foi também fundamental para a comunicação entre diferentes assentamentos humanos pertencentes à civilização egípcia.














 

Nenhum comentário:

Postar um comentário