terça-feira, 14 de outubro de 2014

Os Atributos dos Mapas




Os atributos dos mapas


Vamos aprender as regras básicas da representação cartográfica contemporânea. Os mapas, além de serem uma reprodução seletiva da realidade, são também representações convencionais, isto é, obedecem a um conjunto de regras: as convenções cartográficas. Por isso mesmo, a cartografia é expressa por meio de alguns atributos fundamentais, tais como título, legenda e escala. No que diz respeito à escala, vamos apenas introduzir o assunto.


O título e a legenda


Todo bom mapa deve apresentar um título que informe, de maneira sucinta, quais foram os fenômenos da realidade selecionados para representar.A legenda, por sua vez, é o quadro que explicita o significado dos símbolos e grafismos utilizados no mapa.


A escala


A escala é também um dos atributos fundamentais do mapa. Ela estabelece a correspondência entre as distâncias representadas e as distâncias reais da superfície mapeada.É preciso reduzir as distâncias reais para poder representar uma cidade, uma região ou o mundo inteiro em um mapa. É importante observar que, para a elaboração de um planisfério, por exemplo, as distâncias reais devem ser reduzidas milhões de vezes.
Há duas classificações de escala: a escala numérica e a escala gráfica.A escala numérica se trata de uma operação de divisão e que, portanto, existe um numerador e um denominador. 

O numerador é sempre o número 1, enquanto o denominador varia de acordo com a redução realizada.Em um mapa em escala 1:1.000.000 (lê-se 1 por um milhão), a superfície representada foi reduzida um milhão de vezes. Em um mapa em escala 1:1.000 (lê-se um para mil), a superfície representada foi reduzida mil vezes. Vamos pensar: qual destes mapas apresenta uma escala menor? Dica: Quanto maior é o denominador, menor é a escala do mapa, pois mais vezes as distâncias reais foram reduzidas para serem representadas no papel. Assim, resposta é 1:1.000.000.


Quando a superfície a ser representada é muito grande, é necessário usar uma escala pequena. Contudo, quando se representa uma superfície relativamente pequena, é possível utilizar uma escala grande.


A escala gráfica é uma linha horizontal dividida em centímetros, que indica diretamente a relação entre as distâncias no mapa e as distâncias correspondentes na realidade. Com ela, é possível medir a distância entre os lugares sem precisar recorrer a cálculos matemáticos.
Para usar a escala gráfica, você mede a distância que aparece na escala (por exemplo, 1cm). Para saber a medida entre duas cidades, você mede com a régua (por exemplo, 6cm). Como na escala aparece 0 – 120km, quer dizer que 1cm vale 120km, assim os 6cm de distância entre as cidades, com a régua no mapa, vale 720km (120 vezes 6). 9. A cartografia temática
Os mapas podem ser classificados em duas grandes categorias: os mapas de base e os mapas temáticos. Os mapas de base são aqueles cujo objetivo é a representação exata e detalhada da superfície terrestre no que diz respeito à posição, à forma, às dimensões e à identificação dos acidentes no terreno, assim como dos objetos concretos que nele se encontram. Os mapas temáticos, por sua vez, buscam a representação de um ou mais fenômenos e das relações que possam existir entre eles, tendo como base mapas já produzidos.


A cartografia temática


            Como sabemos, os mapas temáticos representam uma imensa variedade de fenômenos, tanto aqueles originados de aspectos do meio natural, quanto do ambiente construído.


Representação qualitativa e quantitativa


            A cartografia temática utiliza-se dos mais diferentes métodos de representação. Dentre eles, o de representação qualitativa, que retrata fenômenos diversos sem que haja relação de tamanho entre eles, e o de representação quantitativa, utilizada para expressar relações de tamanho e proporcionalidade entre os fenômenos.














Nenhum comentário:

Postar um comentário