terça-feira, 14 de outubro de 2014

A Leitura de Paisagens


1. Leitura de paisagens


Paisagem é um conceito central para a Geografia, mas também faz parte do senso comum.
A paisagem pode receber vários significados, mas na ciência geográfica é definida como um conjunto de estruturas naturais e sociais de um determinado lugar no qual desenvolvem uma intensa interatividade entre os elementos naturais, entre as relações humanas e desses com a natureza.


Geograficamente, a paisagem é tudo aquilo que podemos perceber por meio de nossos sentidos (audição, visão, olfato e tato), mas o que mais destaca é a visualização da paisagem.
Costuma-se considerar como paisagem somente os elementos naturais, tais como montanhas, rios, mares, florestas entre outros. Entretanto, paisagem também abrange as construções humanas como pontes, ruas, edifícios, além das relações humanas como feiras e jogos de futebol (há uma variação das paisagens, pois se trata de uma composição momentânea).


Diante desse contexto, a paisagem se divide em paisagens naturais (lagos, oceanos, vales, florestas, montanhas, seres vivos) e as interações existentes. A variação de cada elemento determina a configuração de cada paisagem. Por exemplo, o clima quente e úmido produz florestas com uma grande quantidade de vidas, tanto da fauna como da flora. Em contrapartida nas zonas polares, onde o frio é intenso, não há o desenvolvimento de elevado número de vidas e nem diversidade.


As paisagens culturais correspondem a todos os elementos construídos pela ação antrópica (ação do homem), como pontes, portos, ferrovias, túneis e muito outros. Apesar da divisão entre paisagem natural e cultural, não existe nenhum lugar no planeta que não tenha sofrido interferências diretas ou indiretas do homem, até porque o que é produzido de poluição nas cidades se dispersa por todo o planeta. As paisagens culturais podem ser divididas em paisagem rural e paisagem urbana. A primeira é formada pela atividade agropecuária, como lavouras de uma infinidade de culturas, hortaliças, frutas, além da criação de bovinos (corte e leite), aves e suínos. Esses elementos fazem parte da realidade de propriedades rurais como fazenda, chácaras e sítios. A segunda é constituída por elementos urbanos como ruas, avenidas, praças, viadutos, prédios que se encontram habitados por pessoas que realizam suas atividades nesse espaço.


A paisagem é uma “acumulação desigual de tempos históricos”. As técnicas e o trabalho humano constroem e reconstroem a paisagem. Os tempos da natureza são responsáveis pela criação das formas naturais, e o tempo histórico são as medidas das intervenções humanas na superfície do planeta.
Objetos naturais são aqueles produzidos pela natureza, sem a intervenção humana; os objetos sociais são aqueles produzidos pelo homem.


A humanização das paisagens


            O processo intensivo de transformação de uma paisagem particular acontece por meio da implantação de um conjunto de novos objetos sociais que a transformam radicalmente: é a humanização das paisagens.


As paisagens na história: os sistemas técnicos


              A cidade de Essen , na Alemanha em 1829, com cerca de 10 mil habitantes, era pouco mais que um povoado rural rodeado de campos cultivados e bosques. Os campos cultivados que rodeavam Essen prosseguiam no interior do núcleo urbano, pontilhado por hortas e pomares e pela criação doméstica de bois, vacas, ovelhas, porcos e aves. A torre da igreja era destaque absoluto na paisagem.


Em 1867, a população ultrapassava 50 mil habitantes, um crescimento espantoso em menos de 40 anos. Aqui, é importante atentar para as mudanças que a industrialização imprimiu na paisagem: as chaminés e o trem carregado de carvão, por exemplo.


Na 3ª. imagem, as chaminés da cidade industrial desapareceram na Essen contemporânea. Essen é a sexta maior cidade da Alemanha, com cerca de 650 mil habitantes. A mancha urbana expandiu-se horizontalmente. A torre da primeira igreja é o único testemunho destacado do passado distante, mas ela praticamente se perde entre os edifícios de uma aglomeração, cuja economia é movida principalmente pelo comércio e os serviços.


O sistema de objetos técnicos (objetos sociais), que constituem uma paisagem, se transforma ao longo do tempo, acompanhando as mudanças da sociedade. Exemplos de objetos sociais: os campos de cultivo e o arado, o trem carregado de carvões e as fábricas, as grandes avenidas e os arranha-céus.

















Um comentário: